Valores

Verdade



O fundamento das virtudes. Quem busca a verdade dentro dele o dela, seguramente desenvolverá outras virtudes cavaleirosas, como a justiça, a coragem, a força e a humildade. Sem a verdade, não há luz, com a obscuridade espiritual há desilusão e engano, que seguramente devem conduzir a outros vícios.

Honra



O estândar contra o que nos medimos, e somos medidos por outros. Isso é um tesouro que se for mantido cresce em valor e esplendor; e se for malgasto, pode raras vezes ser recuperado e com um grande custo de tempo e esforço. A palavra do Templário deve ser mais certa e segura que qualquer contrato escrito. E cada Cavaleiro e Dama devem ter muito cuidado antes de fazer qualquer Juramento, e nunca fazê-lo tão apressadamente ou sem uma reflexão prévia; mais sem embargo deve deixar a cada Templário esforçar-se e comprometer-se no Juramento empreendido suportado pela honra.

Justiça



Desde o tempo imemorial, o dever do Cavaleiro tem sido proteger a inocente e castigar o culpado, como é simbolizado pela espada. No passado, o cumprimento desse dever amiúde requeria o combate físico; hoje, as batalhas são pelejadas de maneira diferente, porém não são menos importantes. Em todas as áreas da vida, o Cavaleiro deve esforçar-se o quanto possível para lutar contra a injustiça e ajudar a que o direito prevaleça.

Caridade



Também conhecida como generosidade. Um Templário procurará ajudar àqueles que o solicitem, dando suporte e assistência de acordo com as suas necessidades, conforme lhes seja permitido, sem ostentação ou exibição. A caridade verdadeira abarca mais que o material; uma palavra de estímulo pode significar mais que o ouro, e um ouvido amistoso mais que jóias. O espírito de Caridade pode causar que o Cavaleiro perdoe um erro feito por ele mesmo, se realmente está arrependido. A caridade ajudará o Cavaleiro a evitar os erros da gula e da avareza.

 

Lealdade

 

O irmão e irmã de Honra. Quando um Cavaleiro tiver feito um compromisso, ele ou ela não renuncia ou se retira. Porém, para que um Cavaleiro não comprometa a sua lealdade, não deve fazer compromissos apressadamente.

 

Coragem



O Cavaleiro tem o dever de lutar pela justiça e pelo que é bom, e assim é destinado a afrontar a muitos oponentes. As batalhas podem ser corporais e os perigos afrontados pelo Cavaleiro podem ser físicos; porém a coragem se engrandece perante o adversário mais sutil da mente ou do espírito. Quaisquer que sejam as circunstâncias nas quais o Cavaleiro entra, ele ou ela sempre devem afrontar o inimigo com valor.

Nobreza



Um homem pode ser enobrecido por um Príncipe; porém a alma somente pode ser elevada vivendo com normas mais altas que aquelas do homem comum. Alcançar o ideal cavaleiresco não é possível, porém as elevações mesmas que forçam o espírito e purifica a alma, marcam o cavaleiro verdadeiro.

 

Humildade

 

O Cavaleiro que mira sua vida sem a evasão ou o auto-engano e exerce a virtude da Verdade, seguramente será humilhado pelo vasto mar de mentiras que está entre o Ideal cavaleiresco e a realidade do que é. Assim castigado, o Cavaleiro seguramente evitará o erro do orgulho.

 

Excelência



O Cavaleiro e Dama esforçam-se por ser e fazer sempre o melhor, custe o que custar o esforço. Eles o fazem assim não para o bem do orgulho, mas para infundir até na tarefa mais mundana a nobreza, e possam glorificar-se.

O Cavaleiro ou Dama devem ter certeza no que ele ou ela crêem acima de tudo, já que com a fé vem a força contra cada adversidade e revés. A fé é o sangue vital da Coragem e da Nobreza; sem ela, a vida não tem nenhum significado. Com a fé, nenhuma força, nem sequer a morte, pode derrotar o Cavaleiro.